Depois de um longo e tenebroso inverno, onde minhas chuteiras descansavam penduradas e inconsoláveis no armário, voltei a jogar futebol.

Já havia algum tempo que cogitava retorno ao esporte bretão, mas precisava de um bom incentivo: amigos que estivessem jogando regularmente.

Vi que o pessoal da época de colégio se reunia todas as terças para uma pelada marota e descompromissada. Resolvi me convidar.

Sem a necessidade da tradicional peneira e confiantes no futebol que eu apresentava no auge do ensino médio, os amigos não hesitaram em me aceitar.

A minha aposentadoria dos gramados chegava ao fim.

O problema é que estou tão fora de forma quanto Ronaldo Fenômeno em seus primeiros jogos pelo Corinthians. No primeiro dia, inclusive, fiquei com medo de ser confundido com a protagonista desse esporte dado o meu formato esférico e as cores da minha chuteira.

Eu poderia ser facilmente confundido com a Jabulani.

Para a alegria e decepção dos amantes do bom futebol, retornei aos gramados. Alegria porque eu dou show. Decepção porque o show está comprometido enquanto estou fora de forma.

Retornei aos gramados sem uma boa pré-temporada. Não consegui correr por mais de 15 minutos no primeiro dia, mas ainda foi possível ver pequenos lampejos da minha genialidade com alguns dribles desconcertantes que logo em seguida foram consertados, já que eu não aguentava correr para completar a jogada.

Ciente de que o meu futuro em campo dependeria de conseguir sobreviver aos 90 minutos de jogo (são várias partidas de 7 minutos que mais parecem 2 horas devido à teoria da relatividade e por estar tão gordo a ponto de possuir um campo gravitacional próprio), acabei retornando para a minha posição de origem.

Pois é. Voltei a ser goleiro.

Foi uma escolha acertada, pois apesar de estar pesado, venho conseguindo recuperar aos poucos a minha elasticidade e as acrobacias que me tornaram uma lenda no bairro onde morei.

Tem sido uma boa experiência voltar a jogar futebol. É uma atividade necessária para que eu consiga retirar a minha carteirinha de membro oficial da ATBC – Associação Brasileira dos Tiozões do Churrasco.

Já tentei ser jogador de futebol, físico nuclear, cientista da computação e famoso. Terminei formado em publicidade e escrevendo em um blog sobre a minha vida. Isso, meus amigos, é o que eu chamo de sucesso.

3 Comments on “Voltei a jogar futebol

Conta ai pra mim o que você achou!

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE