O dia em que me tornei figurinha de um álbum da copa

Posted by in Arquivo

Dia desses tava lembrando (com grande saudade, que fique bem claro) da minha época de jogador de futebol. Comecei como goleiro nas quadras do meu bairro. Com belas defesas e um carisma inigualável, ganhei destaque na liga infantil do bairro sendo chamado para jogar no Internacional, time do bairro. Começava a minha carreira no campo.

Como um diamante bruto criado nas quadras, era necessário lapidar as minhas habilidades nessa nova empreitada nos certames da região. Pra começo de conversa, o gol era bem maior e mais largo ao que eu estava acostumado, e com os meus incríveis 1,50m era necessário uma grande evolução na minha impulsão e elasticidade.

O primeiro jogo foi uma vergonha. Eu não estava acostumado a bolas altas (não vá pensar besteira, ok?) e, só de escanteio, o time adversário deve ter feito uns 4 gols. Foi uma atuação horrível. Eu comandava nas quadras, mas o campo era um novo desafio, mas que eu estava disposto a tirar de letra.

Com o tempo fui melhorando e ficando mais confiante. Já sabia sair no escanteio, e o número de gols nesse tipo de jogada diminuiu bastante. Estava começando a dominar esse fundamento. Em pouco tempo já havia conquistado a admiração dos 10 torcedores fiéis do Internacional. Na turma, eu era um mito. Os mais jovens me olhavam com a esperança de um dia alcançar tamanho conhecimento entre as traves.

O tempo passou e, enquanto jogava como goleiro nos campos, nas quadras eu já estava jogando na linha. Também levava jeito como líbero, e comecei a perceber uma certa vontade de aplicar essa habilidade nos campos também. Só que dessa vez fui mais além, e ao invés de jogar no “Inter”, fui logo fazer um teste no América. E, para surpresa geral, eu passei!

No América eu joguei quase um ano como meia-direita, o clássico camisa 7, ponta avançado, habilidoso e humilde, acima de tudo. Infelizmente, não deu para continuar jogando no time, uma vez que o horário da escola havia mudado, e o time só treinava na parte da manhã. Basicamente, perdi a chance de chegar à seleção graças aos estudos. Abraço a todos os envolvidos.

O tempo passou e eu simplesmente desisti da carreira futebolística. Mas, como o Pelé, que realizou o seu último gol com a ajuda de uma operadora de celular, uma boa alma resolveu realizar o meu sonho de figurar em um álbum de figurinhas da Copa.

Se liga:

 

Pois é, amigos! A Refrigerantes Del Rey resolveu montar o seu próprio álbum de figurinhas da Copa. Você envia uma foto sua para o site www.ciadelrey.com.br/copa e é só salvar! As onze fotos mais criativas ganharão pacotinhos com 10 figurinhas auto-colantes da sua foto, além de um kit com vários produtos da Del Rey. Pra você que sempre sonhou em ser parte integrante de um álbum da Copa do Mundo, é a sua chance.

Sem contar que você poderá fazer parte do time de craques do site.

Vai dar mole? Nem eu.

Então clica aí e manda a sua foto! www.ciadelrey.com.br/copa

Compartilhe