Treze anos de Sem Título Ainda…

treze anos balões

Por Diário

Compartilhe com os migos!

Ando tão cansado e cheio de trabalho que deixei passar em branco o décimo terceiro aniversário desse blog.

Caramba, treze anos é muita coisa.

Se esse blog fosse uma pessoa, estaria com os hormônios explodindo e provavelmente fazendo muita merda.

Ou simplesmente repetindo a minha vida com essa idade: sendo derrotado diariamente.

Com treze anos eu começava a perceber que talvez não me daria bem em nenhuma área que dependesse de matemática. E isso incluía abandonar o meu sonho de ser um “cientista da computação”.

Lendo essa frase em voz alta eu me sinto até um pouco ridículo já que eu não consigo nem contar de cabeça quantas letras tem “ciência da computação”.

Com treze anos eu escutei o CD The Mark, Tom and Travis Show do Blink 182 que um completo estranho me emprestou na praia, sem nunca ter me visto e confiando que eu o devolveria no dia seguinte.

E devolvi, porque além de ser o certo a se fazer, eu jamais teria coragem de fazer sacanagem com outro fã de Blink.

Com treze anos eu ainda nem tinha um computador em casa, ao contrário de quase todos os meus vizinhos.

Mas eu tinha um Playstation 1 e destruía no Winning Eleven.

Com treze anos eu era um completo fracasso com garotas a ponto de não saber nem conversar.

Enquanto isso, todos os meus amigos já davam vários beijinhos e eu pensava em formas de conseguir comprar novos CDs para o meu PS1.

Minha vida definitivamente passou longe do retrato daquele filme Aos Treze.

Essa talvez essa seja uma das piores fases da nossa vida, pois estamos naquele limbo entre não ser mais criança e nem um adolescente por completo. Então, somos dez vezes mais irritante que ambos.

Mas sobrevivi aos treze anos, da mesma forma que esse blog chega a essa idade com alguma dignidade.

Quando paro pra pensar em como esse espaço se tornou importante pra mim, mesmo não atualizando com tanta frequência, o saldo é sempre positivo.

O blog talvez tenha sido meu primeiro passo realmente efetivo para trabalhar com internet e desenvolver minha escrita.

As amizades que fiz por ele, mantenho até hoje.

A época de ouro em que faturei uns trocados e, principalmente, o quanto de histórias da minha vida existe por aqui.

São 13 anos.

Entre os meus 20 e os 33 anos de vida.

Os temas dos posts mudaram, a qualidade da escrita mudou (não sei se para melhor), mas sempre fui o mesmo por aqui, em fases diferentes da vida.

Esse blog viu dias de luta, dias de glória e muitos dias ruins. Porém, ao contrário de muitos aspectos da minha vida nesses últimos anos, ele foi praticamente uma constante.

Aqui é um dos poucos lugares em que eu não tenho a menor vergonha de escrever sobre quem eu realmente sou.

Tem post falando sobre diarreia, sobre não conseguir ir ao banheiro da firma, sobre término de namoro, sobre conhecer novas pessoas, sobre as coisas mais absurdas possíveis que eu pensava em relação à sexo quando era mais novo.

É bom ver como saí de um adolescente completamente imbecil para um adulto com um sério problema de intestino tímido.

Não posso negar que quando o assunto era muito absurdo, eu não hesitei em apagar o post.

Vai que eu ainda consiga ficar famoso e começam a revirar a minha vida? Melhor garantir que só encontrem as histórias de derrota e não as que eu era um completo imbecil.

O cansaço tem me impedido de escrever com maior frequência por aqui.

Nesse exato momento, por exemplo, estou lutando com todas as minhas forças contra o sono.

Inclusive já cochilei duas vezes enquanto escrevo esse post.

Por isso vou finalizando por aqui.

Só queria que a data não passasse em branco. Uma lembrancinha para ler daqui a alguns anos.

Parabéns, Sem título ainda… pelos 13 anos de ótimos serviços prestados.

Um grande abraço a todos.

Compartilhe com os migos!

Nenhum comentário ainda.

Conta ai pra mim o que você achou!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

    × Fechar