Eu sempre achei que ser goleiro era uma arte. Chamam o futebol maroto, malemolente de futebol arte, mas nada se compara à beleza dos movimentos do goleiro. Nem todos os goleiros, claro, mas aqueles que tem a incrível capacidade e graça de fazer uma ponte, defender uma bola de mão trocada, ou até mesmo espalmar a bola em um cruzamento.

Há quem diga que arte mesmo é saber fazer um drible, dar um rabinho de vaca, um lençol, um elástico e como o Robinho, fazer inúmeras pedaladas para enganar o adversário. Mas uma coisa é certa, não adianta nada fazer isso tudo se o outro time tiver um bom goleiro. Com certeza ele irá evitar o mais importante, o gol.

Quando eu era mais novo e jogava bola, era sempre o goleiro. Sempre tive essa inclinação. Jogava até bem na linha, mas onde eu me destava mais era no gol. Lembro de vários campeonatos que disputei e sempre que o time estava na pior, eu ia para o gol, e por incrível que pareça a situação sempre mudava. De repente o nosso time virava o jogo.

Hoje em dia nem jogo mais bola com tanta frequência, mas sempre que rola uma peladinha eu acabo indo para o gol. Não tenho mais aquela forma de 5 anos atrás, por isso as defesas não são mais tão bonitas, mas não deixa de ser a posição que mais admiro.

Ser goleiro exige toda uma técnica, você não precisa necessariamente ser grande, apenas ter uma boa impulsão e possuir uma elasticidade, algo que te permita deixar o braço direito de um lado, e a perna direita do outro, com o único objetivo de impedir que o atacante faça o gol.

E se tem um momento mais mágico na vida de um goleiro, com certeza esse momento é a defesa de um pênalti. Naquele momento é travada uma batalha física e psicológica. O atacante almeja fazer o gol, deslocar o goleiro, bola pra um lado, goleiro para o outro. Tem aqueles que gostam de fazer uma gracinha e dar um tapinha na bola, fazendo com que o goleiro perca o tempo da mesma. Uma verdadeira guerra.

Mas quando o goleiro se posiciona no meio, avalia bem o atacante, entra dentro da mente dele e adivinha o lado em que ele pretende jogar a bola, simplesmente não tem descrição do momento. O goleiro caindo no canto certo, espalmando a bola em direção a lateral e levantando como um herói, simplesmente nada no futebol se iguala. Os grandes títulos de vários clubes vieram de disputas acirradas de pênaltis em que o grande herói do jogo foi o goleiro.

4 x 5, faltando uma cobrança, tudo nas mãos do goleiro. Todo o campeonato se resume em defender essa bola e botar a mão na taça! O atacante vem lentamente em direção a bola, ajeita, tira do buraco, coloca em cima da marca redonda. Se distancia calmamente, com os olhos fixos no goleiro. Dá uma parada, respira e corre em direção a bola.

O goleiro sabiamente foi no canto certo e defendeu, é o momento máximo de glória para um goleiro, simplesmente indescritível. Todos pulam em cima dele, o abraçam e comemoram a grande defesa. Simplesmente não existe emoção maior no mundo do que ser goleiro!

Já tentei ser jogador de futebol, físico nuclear, cientista da computação e famoso. Terminei formado em publicidade e escrevendo em um blog sobre a minha vida. Isso, meus amigos, é o que eu chamo de sucesso.

9 Comments on “O arqueiro

Conta ai pra mim o que você achou!

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE