Há mais ou menos um ano eu era gordo pácaralho.

Vivia uma vida de rei comendo pizza, sanduiches, (mulheres) e porcarias quase todos os dias. Eu era feliz, não vou negar. Mas notei que alguma estava errada quando me peguei ofegante subindo os 2 lances de escada que separam a porta do meu apartamento da garagem do prédio. Não são nem 20 degraus, mas eu estava chegando ao último com a sensação de quem havia acabado de escalar Everest. Isso não estava normal.

Procurei um médico pra ver se tava tudo bem e ele disse que sim, tirando o fato que eu estava pesando inacreditáveis 106kg. Cara, eu realmente não pensei que havia chegado a esse ponto. Eu estava muito, muito gordo e era hora de começar a rever algumas coisas.

O primeiro passo foi começar uma atividade física. E eu já cansei de falar por aqui que odeio malhar. Ou melhor, odiava na época. Agora eu gosto, mas na época eu não queria nem saber de correr, levantar peso ou qualquer outra coisa do tipo. Resolvi que faria jiu-jitsu.

Afinal, nada melhor que se agarrar com outros caras suados, não é mesmo? Mentira, eu escolhi jiu-jitsu porque metade da aula se passa fazendo posições deitado (e isso não tornou esse parágrafo mais hétero). Mentira de novo. Eu sempre quis fazer jiu-jitsu, mas faltava uma desculpa. Estar gordo demais é uma ótima desculpa pra tudo.

Entre maio e dezembro de 2012 aconteceu muita coisa. A principal delas foi o anúncio do concurso para a Polícia Militar daqui. Quem me conhece, sabe que eu estava esperando esse concurso desde 2010. E se eu não tinha um motivo sólido para emagrecer (além do risco de morrer antes de chegar aos 30 anos), agora era a hora de me tornar um verdadeiro Rocky Balboa, afinal, o concurso tem um teste físico rígido e eu não tinha a menor condição de passar pesando o equivalente a um filhote de hipopótamo.

Veio a virada de ano 2012/2013 e com ela a minha única resolução de ano novo: deixar de ser gordo custe o que custar.

O primeiro passo foi abolir completamente o refrigerante da minha vida. Eu tomava mais de 2 litros de Coca-Cola por dia. Ninguém tem uma perspectiva de vida saudável fazendo isso. E se você faz e não engorda, saiba que eu te odeio com todas as minhas forças.

O segundo passo foi começar a caminhar/correr (trocadilho) para iniciar a preparação do concurso. Afinal, eu também tinha que estudar, mas essa é a parte fácil. Gordos são naturalmente inteligentes. Pelo menos eu sou.

O terceiro passo foi iniciar academia, já que o preparador físico que contratei me disse com todas as letras possíveis:

– Acho que você precisa fazer um reforço muscular.
– Tipo academia?
– É. Tipo academia.
– Ok =(

 

Uma das recomendações dele foi tirar uma foto no primeiro dia de academia, do alto dos meus 100kg. E é essa foto ai embaixo.

 

EU TINHA SEIOS :((((((((

EU TINHA SEIOS :((((((((

Censurado porque eu estava de cuequinha e vocês não estão preparados pra tanta sensualidade ainda.

Repare bem: eu tinha seios. Não eram peitinhos. Eram seios. E a partir do momento que você tem mais seios que as garotas do seu círculo de amizades, é hora de rever alguns conceitos.

Minha meta era sair dos 100kg e voltar ao meu peso ideal: 77kg.

Comecei a malhar de manhã antes de ir trabalhar, já que a noite também tinha aula (eu precisava relembrar as matérias do ensino médio, que eu completei há quase 10 anos).

Só que não tava dando resultado. Era tudo muito rápido, muito corrido. Mas  acabei saindo do trabalho e percebi que agora eu tinha todos os recursos disponíveis para emagrecer: tempo livre e tempo livre. Além da comida da minha mãe.

Ai o #projetoBalboa começou pra valer. Entrei em uma dieta absurda e comecei o primeiro mês fazendo spinning, musculação e corrida. Minha vida era basicamente malhar e estudar. O dia todo.

Chegou a prova da Polícia e passei na primeira etapa. Era hora de intensificar ainda mais o treino, já que o teste físico deve rolar no final de julho ou início de agosto.

Semana passada, após a avaliação de 6 meses com o instrutor, a notícia: eu havia atingido o meu peso ideal. Estava com 77kg de pura malícia, malemolência e lindeza.

O instrutor perguntou se eu havia tirado uma foto por dia para acompanhar a evolução, mas a verdade é que eu só tirei no primeiro dia. Ele disse pra tirar uma assim que chegasse em casa e comparasse.

É absurdo. Em 1 ano perdi exatos 29kg. É coisa pra caramba. É peso pra caramba. É banha pra caramba. Dava pra alimentar um pequeno país africano com o tanto de gordura que estava sobrando no meu corpo.

CHORA CAIO CASTRO

CHORA CAIO CASTRO

Em praticamente 1 ano, o projeto Balboa foi realizado com sucesso. Agora é trabalhar pra ficar cortado estilo Bruce Lee!

Já tentei ser jogador de futebol, físico nuclear, cientista da computação e famoso. Terminei formado em publicidade e escrevendo em um blog sobre a minha vida. Isso, meus amigos, é o que eu chamo de sucesso.

6 Comments on “1 ano de Projeto Balboa

Conta ai pra mim o que você achou!

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE